Tempo de Quaresma

By Karla Moura - 14:58



Explicou-me a Rosário Mendonça que é tradição que na Igreja de N. S. das Brotas haja um singelo ramo de flores a assinalar o início da quaresma. 

      
Todas as fotos são da autoria de Rosário Mendonça, a quem muito agradeço o tê-las disponibilizado para publicação no Mora Mundus.





APONTAMENTOS HISTÓRICOS

Quaresma é a designação do período de quarenta dias que antecedem a principal celebração do cristianismo: a Páscoa, que celebra a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no domingo e praticada desde o século IV.
A Quaresma começa na Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos, anterior ao Domingo de Páscoa. Durante os quarenta dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa, os cristãos praticantes dedicam-se à reflexão, à conversão espiritual e recolhem-se em oração e penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz.

https://www.significados.com.br/quaresma/

Sexta-Feira Santa é, por tradição, o dia de não comer carne vermelha. Mesmo aqueles menos apegados à religião católica trocam o bife por um peixe. Mas se comer um bom prato de bacalhau não é exactamente uma penitência, como sugere a Igreja Católica, alguns cristãos mantém tradições ainda mais antigas e se privam de prazeres durante toda a Quaresma. Além da carne vermelha, há quem renuncie a doces, refrigerantes, álcool e até à conversa com os amigos durante parte do dia.

http://g1.globo.com/pascoa/2011/noticia/2011/04/na-quaresma-fieis-evitam-carne-vermelha-doces-e-ate-conversa.html


Semelhanças com o Ramadão

O Ramadão é o nono mês do calendário islâmico, onde os muçulmanos praticam um ritual de jejum – todos os dias desse mês abstém-se de comer, beber, fumar ou ter relações sexuais desde que o sol nasce até que o sol se põe. A data de celebração varia todos os anos mas tem sempre a duração de 29 ou 30 dias.
Simbolicamente, é o mês em que os muçulmanos acreditam que as escritas do Corão foram reveladas, por fases, a Maomé, o último profeta do Islão. É por isso uma celebração do próprio livro sagrado do Islão, que guia os crentes na forma de viver.

O jejum obrigatório aparece assim como uma forma de disciplina espiritual e de auto-controlo profundo, que prova aos crentes que podem mandam nas suas próprias paixões e desejos e que podem alcançar grandes feitos se resistirem aos desejos mundanos e superficiais. Com a disciplina pretende-se também que os muçulmanos agradeçam a Deus as bênçãos que lhes foram concedidas – pela privação chega-se à apreciação daquilo que se tem.

É um tempo de renovação da fé, da prática mais intensa da caridade, e vivência profunda da fraternidade e dos valores da vida familiar. Neste período pede-se ao crente maior proximidade dos valores sagrados, leitura mais assídua do Alcorão, frequência à mesquita, correcção pessoal e auto-domínio.

O EId al Fitr, é o banquete que assinala o término do jejum. Prevê-se a distribuição de alimentos para os pobres, banquetes são servidos, presentes são trocados, roupas novas são vestidas e os agradecimentos a Deus são efetuados, congregando amigos e familiares.

http://observador.pt/explicadores/o-que-e-o-ramadao/ 

Semelhanças com a Páscoa judaica

A Páscoa Judaica celebra a libertação do povo hebreu do Egipto. 

Para os judeus observantes da Páscoa, a preparação é tão importante quanto a própria refeição. Eles preparam limpando suas casas e estudando a história do Êxodo. Além disso, qualquer tipo de alimento fermentado tem o seu consumo proibido. No dia antes do pessach, a família deve jejuar em homenagem aos primogénitos que não foram atingidos pela última das maldiçoes egípcias.

Também se preparam por meio do exame de consciência, assim como a Quaresma prepara os cristãos para a Páscoa.

Ambas as preparações para a Quaresma e para a Páscoa judaica têm a sua inspiração na história do Êxodo. A Quaresma dura tradicionalmente 40 dias.

Este número é obtido pelo tempo que Jesus passou jejuando no deserto depois de seu baptismo por João Baptista. Esses 40 dias foram preparação para proclamar a mensagem da salvação.

Este número e o propósito tem paralelo na experiência israelita durante o êxodo. Eles viviam no deserto por 40 anos. Estes 40 anos foram preparação para experimentar a redenção na Terra Prometida.

Uma outra conexão é encontrada na noção de renascimento. Ambas, Páscoa judaica e Quaresma, acontecem na primavera, o tempo em que a natureza se renova.

http://friendsofsion.org/br/index.php/2016/02/10/a-relacao-entre-a-quaresma-e-a-pascoa-judaica/

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários